HomePolítica

🔶Roberto Cidade propõe protocolo contra o racismo nas escolas do Amazonas

🔶Roberto Cidade propõe protocolo contra o racismo nas escolas do Amazonas

O deputado estadual e presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), Roberto Cidade (União), apresentou um projeto de lei para implementar

🔶Alessandra diz estar pronta para desafio caso seja escolhida para vice de Cidade
🔶Roberto Cidade assume a presidência do União Brasil municipal no próximo sábado (9)
🔶Wilson e Roberto Cidade começam o Asfalta Amazonas em ritmo de campanha

O deputado estadual e presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), Roberto Cidade (União), apresentou um projeto de lei para implementar um protocolo de ação antirracista e de combate à discriminação racial nas instituições de ensino do estado.

Atualmente em análise na Comissão de Educação (COED) da Aleam, a proposta está prevista para ser discutida no plenário durante o retorno das atividades legislativas.

“O combate ao racismo e à discriminação racial é um compromisso inegociável em uma sociedade que valoriza a igualdade, a dignidade humana e a diversidade cultural. Precisamos promover medidas eficazes para garantir um ambiente educacional inclusivo, em que os estudantes aprendam e cresçam livres de preconceitos e estigmatização”, defendeu o deputado presidente.

O Protocolo Antirracista e de combate à discriminação racial tem como princípios norteadores garantir a igualdade de oportunidades e tratamento a todos os estudantes, independentemente de sua origem étnico-racial; promover a valorização e a inclusão de conteúdos relacionados à história, cultura e contribuições das populações negras e indígenas nas atividades pedagógicas; estimular a formação continuada de professores e demais profissionais da educação sobre temas relacionados ao racismo, à discriminação racial e às formas de combate a esses problemas.

Além disso, pretende incentivar a participação da comunidade escolar, incluindo estudantes, pais e responsáveis, na construção de um ambiente educacional livre de discriminação; criar mecanismos de denúncia e acompanhamento de casos de racismo e discriminação racial, assegurando a confidencialidade e a proteção das vítimas e estabelecer parcerias com entidades da sociedade civil, instituições de pesquisa e organismos internacionais para fortalecer a implementação do protocolo.

COMMENTS

WORDPRESS: 0
DISQUS: 0