HomeEconomiaTecnologia

🔶China constrói rodovia e porto no Peru para trazer Rota da Seda até a Amazônia

🔶China constrói rodovia e porto no Peru para trazer Rota da Seda até a Amazônia

A Amazônia vai passar nos próximos quatro anos por uma revolução logística que afetará toda a economia dos Estados da região, começando pela inaugura

🔶Marina Silva é enquadrada por Plínio Valério e diz acreditar na legitimidade das ONGs que atuam na Amazônia
🔶Helder Barbalho diz, em Manaus, que aumento de focos de queimadas no AM foi maior do que no Pará
🔶Queimadas: Amazonas registra segundo pior setembro desde 1998

A Amazônia vai passar nos próximos quatro anos por uma revolução logística que afetará toda a economia dos Estados da região, começando pela inauguração, em dezembro deste ano, do porto de Chancay, no litoral do Pacífico do Peru.

O porto de Chancay faz parte de um conjunto de investimentos do Governo Chinês, batizado de “Rota da Seda”, e reduzirá de 46 dias para 10 o tempo de transporte e cargas entre a China e a América do Sul. Somente em Chancay, a China investiu US$ 3,5 bilhões, desde 2011.

A China é o principal parceiro comercial do Brasil e o principal fornecedor de insumos para as industrias da Zona Franca de Manaus, que serão beneficiadas por uma redução no custo logístico de transporte dos produtos e assim poderão repassá-los ao consumidor brasileiro, incentivando também o aumento na produção.

A cidade de Chancay fica próxima da capital peruana, Lima, que será rota de passagem das cargas que chegarão por rodovia até Iquitos, no Peru, fronteira com o Brasil, no Estado do Amazonas. De lá, o caminho será entrar em território brasileiro pela rodovia Transoceânica, um projeto de investimento chinês que vai conectar os dois litorais da América do Sul.

Atualmente, a parte brasileira da Transoceânica é chamada de rodovia do Pacífico e envolve as BR 364 (Limeira-SP – Rio Branco-AC) e a BR- 317, que liga a capital acriana a Cobija, na fronteira do Peru. E da confluência dessas vias que surge a possibilidade das cargas alcançarem Porto Velho e depois Manaus.

Hoje, uma carga que vem da China para Manaus atravessa o oceano Pacífico, cruza o canal do Panamá e, depois de navegar pelo Oceano Atlântico, entra no Brasil pela hidrovia do rio Amazonas, chegando na capital amazonense em até 46 dias.

As exportações de produtos do agronegócio brasileiro também serão beneficiadas por essa nova via logística, principalmente produtores de grãos do Centro-Oeste e até mesmo de Roraima, que transportariam suas produções por Manaus.

Para especialistas em logística ouvidos pelo site RealTime1, com Chancay e a Transoceânica prontos, o Governo Brasileiro terá de, finalmente, encarar o desafio de melhorar a logística na Amazônia, seja por meio da reconstrução do rodovia BR-319 (Manaus-Porto Velho) seja pelo balizamento e dragagem do rio Madeira, ou ambos.

COMMENTS

WORDPRESS: 0
DISQUS: 0