Coluna 04 de @joao_sarmanho Tema: Conheça o método C.E.D que promete reduzir o número de gatos ?

Mais lidas
Gabriel
CEO do Foco no Fato. Engenheiro Civil, pós graduado em Pavimentação de Estradas e Rodovias e realizando um MBA em Gestão Empresarial pela FGV.

É notório a falta de interesse da prefeitura na questão “causa animal “ . Com isso, a cada dia, aumenta o número de colônias de gatos por toda a cidade de forma desordenada e praticamente todos os centros urbanos sofrem com o problema de superlotação de animais, a irresponsabilidade de alguns donos que abandonam seus animais nas ruas e a falta de castração faz com que centenas de gatos formem grandes colônias nas cidades. Esse problema afeta diversos setores da sociedade como a saúde pública, mas um dos mais importantes é que nenhum animal merece não ter um lar, ração e falta de cuidados básicos. Foi pensando em diminuir o problema que nós demos início no C.E.D.

O que é CED?
Captura, esterilização e devolução é um método eficaz e humanitário de controle da população de gatos. Permite manejar colônias e reduzir de maneira substancial o número de gatos de uma localidade, o processo envolve a captura, castração, marcação de orelha para identificação, vacinação contra raiva e devolução dos animais para seus territórios.

O método CED oferece uma série de benefícios. Para praticar CED é aconselhável ter conhecimento desses benefícios para ter poder de argumentação sempre que necessário. CED ainda é um conceito relativamente novo e muitas pessoas não entendem o porquê é uma boa ideia devolver os gatos para seus locais de origem. Então vamos explicar:
1 – Fim das ninhadas e redução gradual da população. Se todos os gatos forem castrados, ou pelo menos todas as fêmeas, não nascerão mais filhotes na colônia. Se novos gatos aparecerem na colônia e forem rapidamente capturados e castrados, ou adotados (animais dóceis abandonados), o tamanho da colônia vai diminuir ao longo do tempo.
2- O barulho será reduzido drasticamente. A maior parte dos barulhos de uma colônia sem controle está relacionada aos acasalamentos, aos miados e às brigas – comportamentos que são severamente reduzidos em função da castração.

O controle biológico de roedores é mantido. Gatos proporcionam uma forma natural de controle de ratos. O cheiro do gato afugenta sua presa. Devolver os gatos para a colônia após a castração permite a continuação do controle. 
A esterilização
A CASTRAÇÃO MINIMAMENTE INVASIVA COMO PROTOCOLO DE CED
É verdade que a captura e seus preparativos são fundamentais para o sucesso de uma intervenção de Captura, Esterilização e Devolução (CED), afinal, a questão quantitativa que interfere nas taxas de controle da colônia, é decidida nessa etapa do método. O melhor resultado possível é conseguido capturando todos os membros da colônia. Zerar a colônia, quebrar o ciclo de povoamento é o objetivo. 
A etapa seguinte, a esterilização, é também fundamental. Na verdade é possível dizer que não há processo de CED sem castração minimamente invasiva (CMI). É essa técnica que permite a devolução do gato para a colônia dentro do recorte de tempo correto. E devolver o gato no momento certo, respeitando o protocolo do método, é o que garante a saúde do animal e o bom trabalho de controle efetuado por uma equipe de CED. 
Diversos estudos comprovam a existência de uma forte relação entre os sistemas nervoso e imunológico dos mamíferos, demonstrando que situações de distúrbios psicológicos desencadeiam estresse e depressão, causando disfunções no sistema imunológico. 
É sabido que uma das etapas do processo de CED, a captura, causa estresse e depressão. E esse estado emocional pode ser potencializado com o enclausuramento do gato asselvajado em gaiolas de clínicas e abrigos por mais tempo do que o necessário. A retenção do gato feral (o gato de colônia de temperamento forte, asselvajado) por um período maior do que o determinado pelo protocolo, pode ter consequências graves para a saúde do animal.

A devolução no tempo certo, entre 12 e 24 horas após o ato cirúrgico, significa a reconexão rápida do gato com a colônia, aliviando o estresse e mantendo seu sistema imunológico saudável. Esse é o pulo do gato! Por isso cirurgias que abrem demais a barriga da gata são incompatíveis com o método pois requerem pós-operatório longo e doloroso, cheio de riscos que impedem a devolução do animal para a colônia no tempo adequado. Só é possível promover a devolução no tempo certo se a etapa destinada a esterilização for preenchida com a utilização da cirurgia minimamente invasiva, ou melhor dizendo, da castração minimamente invasiva. Não é qualquer cirurgião e qualquer clínica veterinária que podem ser incluídos em processos de controle pelo método CED. Para praticar a nobre arte do controle ético de gatos de vida livre é imprescindível trabalhar em parceria com um médico profissional que domine a técnica minimamente invasiva. É necessário que o Prefeito procure e ouça as pessoas certas.

Publicidadespot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Publicidadespot_img
Últimas notícias

🔶 Manaus realiza em setembro maior festival de artes integradas da Amazônia

SouManaus traz artistas nacionais e internacionais, celebra diversidade e sustentabilidade Manaus convida turistas de todo o Brasil para curtir quatro...
Publicidadespot_img

More Articles Like This

Publicidadespot_img