09 de junho: Dia mundial da imunização

Mais lidas
Gabriel
CEO do Foco no Fato. Engenheiro Civil, pós graduado em Pavimentação de Estradas e Rodovias e realizando um MBA em Gestão Empresarial pela FGV.

A pandemia de coronavírus trouxe à tona problemas estruturais, econômicos, sociais e principalmente sanitários de todos os países, especialmente daqueles em desenvolvimento. Com ela retomaram as reflexões sobre a importância da imunização como meio de prevenção de doenças. A Covid-19 talvez nos tenha trazido como reflexão que as vacinas não são inimigas da humanidade, ao contrário. E que movimentos contra a imunização podem ser altamente perigosos para a Saúde Pública. Além disso, a valorização da pesquisa e da ciência, ora desprezadas por alguns, traz a esperança do encontro breve de vacinas que ajudem no enfrentamento dessa enfermidade.

O que é imunização?

Celebrado em 9 de junho, o Dia Nacional da Imunização tem por objetivo conscientizar as pessoas sobre a importância das vacinas para prevenir doenças. A imunização é o ato ou efeito de despertar no organismo uma resposta contra um agente, habitualmente infeccioso, fazendo com que um ou mais doenças não se instalem naquela pessoa. A principal forma de se despertar tal resposta é por meio da aplicação de vacinas, ou a vacinação.

O que é vacina?

A palavra vacina deriva do latim e significa “vaca”. Em 1798 o termo foi utilizado pela primeira vez, quando em meio a uma epidemia de varíola o médico e cientista Edward Jenner notou que as ordenhadoras de vacas de um pequeno vilarejo pareciam estar imunes à doença, isso porque – devido ao contato constante com os animais – as ordenhadoras acabavam por adquirir a varíola bovina. Concluindo que a varíola bovina trazia certa imunidade aos humanos, Jenner injetou os dois tipos de vírus em um garoto do mesmo vilarejo e este teve a doença de uma forma branda, o que possibilitou que o cientista iniciasse os estudos neste campo. Assim surgiu a primeira vacina.

A vacina é uma preparação que pode conter partículas de agentes infecciosos, o agente morto, atenuado ou inativado (sem capacidade de causar doenças) que quando aplicada desencadeia uma resposta imunológica que gerará uma “imunidade ativa”, fazendo com que o corpo consiga se defender, caso tenha contato com o micro-organismo.

Hoje, as vacinas são quase todas profiláticas (evitam doenças), mas também podem ser terapêuticas em alguns casos (contra o câncer por exemplo, que ainda estão sendo pesquisadas).

A importância de se manter imunizado

A imunização é importante em todos os momentos do ciclo da vida de uma pessoa. Porém, nos extremos de idade, durante a gestação e em determinadas profissões (como as da saúde), a vacinação é ainda mais relevante para evitar doenças e complicações.

As autoridades de saúde envolvidas no planejamento de ações de imunização sempre precisam fazer mapeamentos detalhados do impacto de campanhas vacinais sobre a epidemiologia de determinadas doenças em curto, médio e longo prazo; avaliar criteriosamente os riscos e benefícios da administração de determinado imunobiológico, para evitar efeitos adversos e custos à saúde. Por fim, sempre devem se manter atentas para os índices de imunização, mesmo em casos de enfermidades que estejam aparentemente erradicadas.

A eficiência da imunização depende de alguns fatores, como:

  • A predisposição genética e individual (algumas pessoas não conseguem produzir anticorpos, mesmo após a vacinação);
  • O seguimento correto do calendário vacinal;
  • De fatores ambientais (a maioria das vacinas não suporta temperaturas muito altas ou muito baixas, podendo perder sua capacidade de despertar resposta imunológica se acondicionadas de forma inadequada);
  • O tipo de cepas (grupo de agentes infeciosos com pequenas diferenciações morfológicas ou fisiológicas)

O Brasil tem hoje uma das melhores políticas de imunização do mundo, contemplando várias vacinas contra doenças (virais ou não-virais) que asseguram mais chances de enfrentamento de epidemias. Mas cabe à população a adesão correta ao calendário vacinal. Só com colaboração de todos(as) conseguiremos reduzir enfermidades que infelizmente ainda matam, deixam sequelas ou comprometem a qualidade de vida individual e coletiva.

Estima-se que milhões de vidas são salvas anualmente pelo simples fato de as pessoas tomarem as vacinas conforme as recomendações e campanhas.

Publicidadespot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Publicidadespot_img
Últimas notícias

🔶 TSE recebe, hoje (8) em Brasília, grupo de advogados conservadores. Reunião ocorre depois de Fachin se reunir com, grupo de juristas pró-Lula

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luiz Edson Fachin, vai receber um grupo de 12 advogados de movimentos...
Publicidadespot_img

More Articles Like This

Publicidadespot_img