IMPÉRIO MONGOL: Conheça a história do maior império de todos os tempos. Império que no seu auge chegou a conquistar 20% das terras de todo o planeta

Mais lidas
Gabriel
CEO do Foco no Fato. Engenheiro Civil, pós graduado em Pavimentação de Estradas e Rodovias e realizando um MBA em Gestão Empresarial pela FGV.

Senta que o Foco no Fato vai lhe contar mais uma história incrível.

Vamos a história da conquista que tornou o conquistador Genghis Khan temido e conhecido, mas que não resistiu ao seu próprio tamanho

O Império Mongol dos séculos XIII e XIV foi o maior império de terras contíguas da história e o segundo maior império em área, perdendo apenas para o Império Britânico. Originário da Mongólia no Leste Asiático, o Império Mongol chegou a se estender da Europa Oriental e partes da Europa Central até o Mar do Japão, além de também para o norte, em partes do Ártico; para o leste e para o sul no subcontinente indiano, no sudeste da Ásia continental e no planalto iraniano; e para o oeste até o Levante e as montanhas dos Cárpatos. 

O Império Mongol surgiu da unificação de várias tribos nômades na pátria mongol sob a liderança de Genghis Khan (c. 1162-1227) a quem um conselho proclamado como o governante de todos os mongóis em 1206. 

O império cresceu rapidamente sob seu domínio e de seus descendentes, que enviaram exércitos invasores em todas as direções. O vasto império transcontinental conectou o Oriente com o Ocidente, o Pacífico com o Mediterrâneo, em uma Pax Mongolica forçada, permitindo a disseminação e troca de comércio, tecnologias, mercadorias e ideologias em toda a Eurásia.

Origem


Durante o século 12, a região de planícies geladas, onde hoje é a Mongólia, consistia em um aglomerado de tribos nômades que guerreavam entre si. Entre esses povos estavam os mongóis. E, entre os mongóis, um líder guerreiro se destacou: Temujim, que ao derrotar o líder Wang Khan, passou a se chamar Genghis Khan.

E foi ele que, com seu carisma e suas vitórias militares, conseguiu unir todas as tribos mongóis como um só povo. Em 1206, o conselho tribal (kurultai) o elegeu como líder universal, dando início oficialmente ao Império Mongol.

Conquistas

As invasões e conquistas mongóis aconteceram nos séculos XIII e XIV, criando o vasto Império Mongol que, por volta de 1300, já cobria grandes porções da Eurásia. Historiadores consideram as devastações causadas pelas invasões mongóis como um dos episódios mais letais da história militar humana. Além disso, as expedições mongóis podem ter sido um dos fatores principais para a expansão da peste bubônica pelo Eurásia, ajudando a alastrar a Peste Negra em meados do século XIV.

O Império Mongol se desenvolveu ao longo do século XIII através de uma série de campanhas militares bem sucedidas pela Ásia, chegando ao leste da Europa na década de 1240. Em contraste com os “impérios do mar” como o dos Britânicos, a força dos mongóis estava em terra,  alimentado pela poderosa cavalaria mongol. Então, as conquistas e saques mongóis aconteciam primordialmente no verão ou primavera, onde havia abundância de mantimentos para seus cavalos e gado. A ascensão mongol foi precedida por quinze anos de condições climáticas quentes e molhadas, de 1211 a 1225, que permitiu a criação e manutenção de milhares de cavalos saudáveis, que seria vital nas invasões.


Genghis Khan morreu em 1227, durante uma campanha para destruir a Dinastia Xi Xia, que havia negado apoio durante as invasões ao Império Corásmio. A essa altura, o Império Mongol já estava consolidado entre o Mar Cáspio e a costa da China, delimitado ao norte pela Sibéria e ao sul pelo Tib

Uma das batalhas mais marcantes: Batalha de Pequim 

O ano de 1211 marcou o início da guerra entre os Mongóis e a Dinastia Jin, na época muito poderosa e capaz de impedir Genghis Khan e seu exército nos dois primeiros anos da guerra.

No entanto, Temujin continuou a fortalecer suas forças e em 1213 tinha um exército tão poderoso que seria capaz de conquistar todo o território Chin ao norte da Grande Muralha da China. Desta localização estratégica, Genghis Khan tomou a decisão de dividir suas forças em três exércitos menores em uma tentativa de passar pela muralha e terminar sua conquista da China. Ele enviou seu irmão, Kasar, como o líder de uma dessas divisões do exército a leste para a Manchúria. Ele enviou outra divisão do exército ao sul na direção de Shanxi sob o comande de seus três filhos mais velhos. Genghis Khan liderou o terceiro exército, junto com o filho caçula Tolui, na direção de Shandong. O plano foi bem-sucedido e todos os exércitos passaram pela muralha em diferentes lugares.

A batalha de Pequim foi longa e cansativa, porém os mongóis mostraram serem os mais poderosos quando eles tomaram a cidade em 1214 após um longo cerco, massacrando seus habitantes. Isto permitiu que a região do vale do rio Amarelo ficasse aberta a futuras investidas mongóis. Pequim, por sua vez, passaria por mais de 150 anos sob domínio mongol, até que a ascensão da Dinastia Ming na década de 1360 os expulsou da área.


Supremacia militar


Durante a expansão do Império Mongol no século 13, as frias e secas planícies da Mongólia viveram seu período de maior umidade e fartura em um milênio. Isso possibilitou um rápido aumento nos seus rebanhos, inclusive de cavalos de guerra. E era justamente a cavalaria a principal vantagem das tropas mongóis: com manobras ágeis, aliadas ao uso de arco e flecha, eles conseguiam fazer grandes estragos aos adversários sem serem alcançados. Para conquistar cidades fortificadas, eles contavam com a ajuda de engenheiros dos povos que haviam conquistado, como chineses, árabes e persas.

Sucessão de poder

Com a morte de Genghis Khan, o kurultai escolheu um novo líder: seu filho Ögodei foi eleito em 1229. Suas primeiras ações foram dizimar as dinastias Xi Xia e Jin, firmando a presença do Império Mongol na China. Foi sob Ögodei que os mongóis chegaram até a Europa, saqueando cidades na Polônia e na Hungria. As tropas estavam às portas de Viena, na Áustria, quando tiveram que retornar à Mongólia para escolher o sucessor de Ögodei, que morrera em 1241.


O império viveu um período de instabilidade até 1251, quando Mongke, neto de Genghis, assumiu o trono. Ele confiou os exércitos aos seus dois irmãos, Hulagu e Kublai. O primeiro comandou uma campanha ao Oriente Médio, onde destruíram Bagdá, centro do poder islâmico, em 1258. Hulagu chegou até Damasco, na Síria, e foi impedido de entrar no Egito pelos mamelucos.

Divisão

A morte de Mongke levou a uma guerra civil que durou até 1264, durante a qual diferentes líderes brigaram pelo poder. Kublai Khan saiu vitorioso, mas a disputa levou a uma posterior divisão do Império Mongol em quatro khanatos. Kublai ficou com a maior parte, que compreendia os domínios na Mongólia e na China. Mais tarde, Kublai fundou a Dinastia Yuan em 1271, ao mudar a capital imperial para Pequim. A partir disso, conseguiu dominar toda a China em 1276


Declínio


Com a morte de Kublai Khan em 1294, a desintegração do Império Mongol se intensificou. O islamismo e o surgimento de novas forças, como as dos turcos, ajudaram a tirar a identidade mongol dos khanatos. Restava apenas a Dinastia Yuan, que manteve sua soberania na China nos anos seguintes, embora marcados por crises econômica e desastres naturais. Em 1368, o Império Mongol chegou oficialmente ao fim, quando o último líder da Dinastia Yuan abandonou a capital em Pequim com a chegada das tropas da Dinastia Ming.

Conheça 10 curiosidades sobre o Império Mongol

1) Gengis Khan se chamava, na verdade, Temudjin. Ele nasceu por volta de 1165, à beira do Rio Onon, no noroeste da Mongólia, uma vasta região de clima árido, ocupada pelos turcos até o século 12.

2) Com o pai morto por inimigos tártaros, a família de Khan sobrevivia com dificuldades. Aos 15 anos, o futuro imperador mongol já almejava a liderança da família. Para assumir o posto, chegou a matar seu meio-irmão Bekter com uma flechada, durante uma pescaria para se livrar da concorrência.

3) Entre os mongóis, sempre que havia uma crise, havia uma guerra. Com 18 anos, Temudjin arrumou uma desavença com uma tribo inimiga e, com a ajuda de Teghrul, líder dos poderosos caraítas, e de seu amigo Jamuka, influente chefe militar de um clã aliado, conseguiu reunir 40 mil homens e derrotar os inimigos. A partir de então, uma série de batalhas o levaria à liderança dos mongóis.

4) Após virar o líder dos mongóis, passou a se chamar Chingis Khan (“Gengis” é a versão persa do nome, que ficou famosa por terem sido eles os primeiros a relatarem sua história), que significa “soberano do oceano”.

5) Gengis Khan soube ser um líder carismático e impiedoso, ao mesmo tempo. Tinha profundo senso de justiça, e atos de bravura costumavam conquistar seu coração. Guerreiros valentes, mesmo entre inimigos, eram recompensados com posições de comando em suas tropas. Já os traidores, esses eram castigados com a morte.

6) O avanço rápido e arrasador do Império Mongol se deve, sobretudo, ao terror imposto aos inimigos. Nobres ou governantes não eram poupados, populações inteiras eram assassinadas. A fama fez com que muitas cidades que estavam em seu caminho preferissem se render, pagar tributos e entregar mulheres e escravos, do que correr o risco de serem massacradas.

7) Durante sua vida, o líder mongol Gengis Khan conseguiu erguer o maior império em extensão que um único homem já criou, que ocupou cerca de 20% das terras do planeta. O território se estendia da costa do Oceano Pacífico ao Mar Cáspio. Seus descendentes chegaram à Europa e ao Golfo Pérsico

8) Os mongóis não possuíam leis escritas – nem sequer nada escrito. Não conheciam a agricultura também e seus modos eram pouco civilizados mesmo para os padrões da época: não tomavam banho, comiam carne crua e viviam infestados de piolhos e outros parasitas.

9) A supremacia mongol começou a ter fim no início do século 15, em parte por causa da ausência de uma identidade mongólica e devido a inevitável fragmentação do sistema de clã, que culminou em lutas internas entre as diferentes tribos do império, logo após a morte de Gengis Khan, em 1227.

10) Até hoje não se sabe onde o líder mongol foi enterrado. Diz a lenda que todos os criados e soldados que participaram do funeral foram assassinados. Recentemente, uma equipe de pesquisadores japoneses e mongóis encontrou os restos do palácio de Gengis Khan e a tumba pode estar em algum lugar perto da construção, localizada a 250 quilômetros da capital da Mongólia, Ulan Bator.

Publicidadespot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Publicidadespot_img
Últimas notícias

ORIGEM ESTRANHA: 78% do faturamento de empresa que contratou Moro veio de alvos da Lava Jato.

Empresa que contratou Sergio Moro (Podemos) após o ex-juiz deixar o Ministério da Justiça em 2020, a Alvarez &...
Publicidadespot_img

More Articles Like This

Publicidadespot_img