MAUS CAMINHOS: O ex-governador José Melo afirma em entrevista que quer ficar bem longe do Senador Omar Aziz. Principal investigado pela “Maus Caminhos”

Mais lidas
Julio Cesar
Redator e Designer do Foco no Fato. Profissional de Marketing formado pelo Uninorte-AM.

Em entrevista exclusiva ao Diário do Amazonas, o ex-governador do Amazonas José Melo afirmou ter se afastado do senador Omar Aziz e ainda criticou o parlamentar, “hoje somos como azeite e água, não nos misturamos”, afirmou. Ele lançou ainda a pré-candidatura dele a deputado estadual na eleição deste ano.

Questionado se tem mágoa do senador Omar Aziz, Melo disse que teve apenas paciência. “Não tenho mágoa de ninguém, tenho a paciência de esperar quatro anos e no decorrer neste tempo, o processo se desenrolou, os culpados apareceram e eu, graças a Deus, estou saindo desta inocente, como sempre fui. Eu tinha duas saídas: ser tresloucado e apontar culpados, mas eu preferi me recolher, esperar a mão de Deus chegar e ela chegou”, destacou.

O ex-governador frisou que quando foi governador, entre 2014 e 2017, discutiu com especialistas a implantação de novas matrizes econômicas ambientais para o Estado, cuja proposta pretende implantar no Parlamento Estadual.

“Esta matriz é a exploração racional de nossas riquezas. Tempos a Zona Franca de Manaus (ZFM), mas temos também outras ‘zonas francas’ de riquezas de nossas florestas, então, a ideia é explorar isso de forma sustentável para dar a ZFM um modelo de desenvolvimento que fosse integrado, beneficiando, sobretudo, o interior (do Estado) (…) Agora volto com esta proposta com uma nova roupagem, uma vez que a questão do Meio Ambiente é cada vez mais recorrente”, frisou.

Melo explicou que a implantação deste projeto pode gerar mais de US$ 50 bilhões em sequestro de carbono, uma vez que a Floresta Amazônica está mais de 90% intacta.

“Eu volto para defender a exploração racional das riquezas do Amazonas. Volto com uma pré-candidatura à deputado estadual porque é lá na Assembleia Legislativa que serão discutidas as lei que darão o arcabouço jurídico capaz de permitir que os investidores venham para cá investir e produzir no Amazonas, além de gerar emprego, renda, qualidade de vida, receita e produzir algo que receba o ‘Selo Verde’”, afirmou.

O ex-governador lembrou que o Amazonas é rico em algo que será crise no mundo: alimento e água. “Será a crise dos dois ‘A´s’: falta de água doce e de alimento. O Estado do Amazonas tem 20% da água doce do mundo e uma variedade de peixes altamente saborosos e ricos em proteínas. Desta forma, com o desenvolvimento da criação de peixes em cativeiro, seremos no futuro um dos locais do mundo que dará solução a uma das crises que é a falta de alimentos. Outra solução é a água doce. Os mananciais no mundo todo estão quase pela metade e, nós, estamos intactos”, destacou.

Fonte: D24am

Publicidadespot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Publicidadespot_img
Últimas notícias

ORIGEM ESTRANHA: 78% do faturamento de empresa que contratou Moro veio de alvos da Lava Jato.

Empresa que contratou Sergio Moro (Podemos) após o ex-juiz deixar o Ministério da Justiça em 2020, a Alvarez &...
Publicidadespot_img

More Articles Like This

Publicidadespot_img