Governador, prefeito e pré-candidato do PSB são vaiados em ato de pré-campanha de Lula em Pernambuco

Mais lidas
Luyza Rodrigues
Redatora e Universitária de Jornalismo pela UniNorte - AM

🔶 No primeiro ato de pré-campanha em Pernambuco, o ex-presidente Lula (PT) enfrentou saia-justa ao presenciar vaias a nomes aliados do PSB, partido de seu vice, Geraldo Alckmin.

O governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB) e o prefeito de Recife, João Campos (PSB), foram hostilizados. O deputado Danilo Cabral, pré-candidato ao governo, foi rejeitado por apoiadores da deputada Marília Arraes (Solidariedade), adversária dele na disputa.

Cabral minimizou as vaias e disse que o ato de hoje serve também para “defender o direto ao diferente, à liberdade das pessoas”, mas alfinetou a opositora ao final.

“Aqui não tem ajuntamento de projetos pessoais e de ressentidos. Aqui tem um projeto político, aqui tem um time que tá entrando em campo e tem uma história. Aprendi na política que as pessoas têm que ter lado, têm que saber o lado certo da história”, disse.

A militância petista pró-Marília compareceu ao evento de Garanhuns mesmo sem a presença da pré-candidata. Segundo aliados da deputada, avaliação é de que evitar confronto agora pode lhe render um gesto de aproximação de Lula durante o período oficial de campanha.

Dirigentes petistas no estado informaram à reportagem que não houve orientação para impedir a entrada de apoiadores da deputada nem coibir manifestações em favor dela.

A vereadora Fany Bernal, no entanto, acusou o PT de barrá-la na área reservada a políticos e parlamentares por ser apoiadora de Marília Arraes. Ela foi expulsa do PT recentemente num movimento para estancar a dissidência petista em apoio a Arraes.

“Acredito que as pessoas que se acham donas de Lula, dos eventos que Lula acabaram esquecendo que essa guerra contra o bolsonarismo é de todos”, disse.
A pré-candidata ao Senado, Teresa Leitão, cometeu uma gafe ao saudar a vereadora Marília Ferro (PT), parte de um mandato coletivo com Bernal, que ficou de fora do evento. “Marília A…” disse, antes de se corrigir.

Marília tem causado desconforto no PSB por já ter furado bloqueio de outros eventos e posado para fotos com o ex-presidente. Primeira colocada nas pesquisas, Marília Arraes deixou o PT e migrou para o Solidariedade, após acusar o então partido de usá-la como massa de manobra ao indicá-la ao Senado sem seu consentimento.

Fonte: Revista Oeste

Estamos com foco no fato.

Publicidadespot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Publicidadespot_img
Últimas notícias

🔶 Ex-guerrilheiro Gustavo Petro assume na Colômbia e propõe paz a grupos armados e o fim da guerra às drogas

O ex-guerrilheiro e ex-senador Gustavo Petro tomou posse neste domingo (7) como o primeiro presidente de esquerda da história...
Publicidadespot_img

More Articles Like This

Publicidadespot_img